• Para refletir

     


    Textos  e frases tirados da net para reflexão.

    Não foram escritos por mim mas eu vejo-me neles, por isso, eu os escolhi.

  •  

     


    Amor com Incompreensão

     

    Nata Vi

    votre commentaire
  •  

     

     

    Dono da Felicidade

    Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregue a sua alegria, a sua paz, a sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém.

    Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.

    A razão de ser da sua vida é você mesmo.

    A sua paz interior deve ser a sua meta de vida; quando sentir um vazio na alma, quando acreditar que ainda falta algo, mesmo tendo tudo, remeta o seu pensamento para os seus desejos mais íntimos e busque a divindade que existe dentro de si.

    Pare de procurar a sua felicidade cada dia mais longe.

    Não tenha objetivos longe demais das suas mãos, abrace aqueles que estão ao seu alcance hoje.

    Se está desesperado devido a problemas financeiros, amorosos ou de relacionamentos familiares, busque no seu interior a resposta para se acalmar, você é reflexo do que pensa diariamente.

    Pare de pensar mal de si mesmo, e seja o seu próprio melhor amigo, sempre.

    Sorrir significa aprovar, aceitar, felicitar.

    Então abra um sorriso de aprovação para o mundo, que tem o melhor para lhe oferecer.

    Com um sorriso, as pessoas terão melhor impressão sua, e você estará afirmando para si mesmo, que está "pronto"para ser feliz.

    Trabalhe, trabalhe muito a seu favor.

    Pare de esperar que a felicidade chegue sem trabalho.

    Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda.

    Agradeça tudo aquilo que está na sua vida, neste momento, incluindo nessa gratidão, a dor.

    A nossa compreensão do universo ainda é muito pequena, para julgarmos o que quer que seja na nossa vida.

     

     

    Paulo Roberto Gaefke

     

     


    2 commentaires
  •  


     Se as coisas são inatingíveis... ora!
    Não é motivo para não querê-las...
    Que tristes os caminhos, se não fora
    A presença distante das estrelas!

                                                                                Mario Quintana

    votre commentaire
  •  


    Amor com Incompreensão

    Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões, é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil. É porque eu não quis o amor solene, sem compreender que a solenidade ritualiza a incompreensão e a transforma em oferenda. E é também porque sempre fui de brigar muito, meu modo é brigando. É porque sempre tento chegar pelo meu modo. É porque ainda não sei ceder. É porque no fundo eu quero amar o que eu amaria – e não o que é. É porque ainda sou eu mesma, e então o castigo é amar um mundo que não é ele. É também porque me ofendo à toa. É porque talvez eu precise que me digam com brutalidade, pois sou muito teimosa. 

    Clarice Lispector, in 'Felicidade Clandestina' 

    Nata Vi

    votre commentaire
  •  


    O Homem É

    O homem. Como o homem é simpático. Ainda bem. O homem é a nossa fonte de inspiração? É. O homem é o nosso desafio? É. O homem é o nosso inimigo? É. O homem é o nosso rival estimulante? É. O homem é o nosso igual ao mesmo tempo inteiramente diferente? É. O homem é bonito? É. O homem é engraçado? É. O homem é um menino? É. O homem também é um pai? É. Nós brigamos com o homem? Brigamos. Nós não podemos passar sem o homem com quem brigamos? Não. Nós somos interessantes porque o homem gosta de mulher interessante? Somos. O homem é a pessoa com quem temos o diálogo mais importante? É. O homem é um chato? Também. Nós gostamos de ser chateadas pelo homem? Gostamos. 

    Poderia continuar com esta lista interminável até meu diretor mandar parar. Mas acho que ninguém mais me mandaria parar. Pois penso que toquei num ponto nevrálgico. E, sendo um ponto nevrálgico, como o homem nos dói. E como a mulher dói no homem. 

    Clarice Lispecto, in Crónicas no 'Jornal do Brasil (1967)' 

    Nata Vi

    votre commentaire


    Suivre le flux RSS des articles de cette rubrique
    Suivre le flux RSS des commentaires de cette rubrique